Uma vila de pescadores em Abreu do Una

abreu

Muito mais que uma multidão de pessoas juntas dentro de um ambiente, a igreja e uma reunião de indivíduos, de pessoas com nomes, sonhos, frustrações, aspirações, pecados, inclinações, dons, história de vida diferentes. Esse fim de semana, em uma vila de pescadores, Jesus me fez olhar para cada uma das pessoas da igreja como um ser e não apenas um grupo.

Esse fim de semana passado, fui convidado a trabalhar como tradutor de um grupo de homens vindo do Texas, para um trabalho de evangelismo e discipulado com homens de uma vila de pescadores, chamada Abreu do Una. Um vilarejo de umas duas mil pessoas, até então, desconhecido por mim. Esse vilarejo fica na divisa de Pernambuco e Alagoas e é um município de São Jose da Coroa grande em Pernambuco.

Uma vila simples, de pessoas simples, com estradas de areia para quase todos os lados, casas simples e demostrando que ainda existe uma vida simples em muitas partes do mundo. Conheci pescadores consertando redes que foram arrebentadas por alguns tipos de peixes, por pedras, conheci alguns tipos de peixes diferente, conheci a casa dos caranguejos, o Mangue,  conheci caranguejos com nome de ganhamum, e tudo isso bem de frente da casa que ficamos hospedados.

Voltei impactado com muitas coisas que vi, com proposta que recebi, mas o que não saiu da minha cabeça, foi poder ter enxergado as pessoas como indivíduo e não apenas com um grupo que passou pela minha vida. Deus me fez olhar para cada um e poder sentir que aquele nome no crachá que cada um deles carregava no peito, não apenas informava seus nomes, mas demostrava que eles tinham uma história de vida para passar, tinha algumas feridas para serem tratadas, tinha sorrisos para nos alegra, tinha vida, algumas vezes maltratada.

Conseguir enxergar nas pessoas o que elas realmente são é um dom de Deus para aqueles que se importam com pessoas, que buscam ver através de uma timidez, a insegurança gerada pela falta de uma família funcional. Quem gosta de se relacionar com as pessoas pelas pessoas, consegue ver em um simples aperto de mão, o pedido de amizade, a vontade de estar por perto.

Deus me fez ver um campo missionário enorme, pronto para ser limpo, colhido e que apenas está faltando quem se dispõe a ir limpar, ensinar, cuidar, colher os que um dia, Ele, Deus, enviou seu próprio filho Jesus, para morrer por esses pescadores pecadores.

São Jose da Coroa Grande é uma cidade praiana, muito conhecida pelas belas praias, por ser ao lado de Maragogi, um paraíso em Alagoas, mas espero que também um dia seja conhecida, como a cidade onde Jesus Cristo mudou a vida dos pescadores da vila do Abreu do Una.

 

Joberson Lopes,  Recife 17 de agosto de 2017.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s