Balançando o coqueiro para a gloria de Deus

Na missão tem um dito popular entre alguns missionários sobre buscar recurso que diz: “fulano esta Balançando o coqueiro”; o que significa que esse missionário quando está perto de alguém contando sobre sua vida ou sobre outra coisa qualquer, vai logo dizendo sobre suas necessidades financeiras para ver se “cai algum cocô” dessa balançada, depois de dizer nas entrelinhas ou diretamente mesmo o que está precisando ou o que está querendo.
Eu estava meditando no episodio em que Jesus envia os 12 para falar sobre o Reino de Deus e os avisa: não levem nada pelo caminho, nem bordão (na versão em inglês bordão tem mais sentido, pois traduz como Staff, em português seria obreiro), nem saco de viagem, nem pão, nem dinheiro, nem uma túnica extra. Lucas 9:3; e nessa meditação eu estava lembrando essa tal “balançada de coqueiro” que vejo quase sempre quando recebo cartas informativas de missionários; Não sou contra ninguém informar sobre o que necessita, mas não precisa fazer uma historia mirabolante e longa, cheia de desculpas para simplesmente pedir dinheiro.
Essa pratica de balançar o coqueiro vira algo tão corriqueira, que às vezes queremos fazer isso com Deus, indo ate Deus em oração e informando a Ele nossos desejos e necessidades e no meio dessa informação vem à “balançada” em forma de historia de terror!
Jesus ensinou e alertou aos 12 que não levassem nada no caminho quando saíssem a falar do Reino de Deus e acredito que Jesus não disse para levarem, porque o natural do ser humano é antes de sair em uma jornada de fé, é buscar firmar seu pé em um porto seguro humano para depois seguir sua jornada; mas com essa atitude, muitas vezes, estamos dizendo para Jesus que não confiamos plenamente nEle e nem em seu suporte e sim no que carregamos, nos bordões ( ou ajudas) que estamos levando no caminho.
Quando Jesus ensina que devemos pregar o Reino de Deus e logo mais a frente Ele diz que o Reino de Deus não é comida e nem bebida, Ele quer nos ensinar que o Reino não é nada perecível, que são coisas impagáveis, incomparáveis, são coisas onde não precisamos de dinheiro para tê-los, pois não tem valor mensurável, como PAZ, JUSTIÇA, LONGANIMIDADE, BENIGNIDADE, MANSIDAO, DOMINIO PROPRIO.
O Reino de Deus não se traduz em bens que acumulamos ao decorrer da vida como a teologia da prosperidade ensina, mas em como dominamos os nossos próprios sentimentos; acredito que se traduz com as ações que temos diante dos conflitos diários, mostrando que temos domínio próprio para reagir a situações difíceis com habilidade celestial, que vá glorificar Deus, que vai mostrar quem é o nosso Rei e do que Ele é cheio.
O Reino de Deus não é para mostrar quem somos, mas para apontar o que devemos ser em Cristo, como devemos agir tendo as marcas de Cristo em nós, agindo diferente dos padrões impostos por esse mundo cheio de esquemas e facilidades.
Eu entendo que nós seres humanos, temos a natureza de não confiarmos em Deus, e muitas vezes ensinamos que viver o Reino de Deus é não ter falta alguma em nossa jornada de vida, mas não foi isso que Deus disse, não foi isso que Jesus ensinou aos seus discípulos.
Eu não gosto de ficar sem dinheiro, mas é muitas vezes nesse tempo que conseguimos ouvir Deus falar de uma forma mais clara, pois estamos vazios (literalmente) de nossa humanidade, de nossas seguranças e como não temos para onde ir e em quem confiar, nos apegamos a Deus.
A vida na missão em fé eu sei que não é fácil, mas temos que ter a confiança que Jesus sabe o que está fazendo, e Ele não quer que levemos muita coisa para essa jornada, por que ele quer fazer milagres, ele quer nos ensinar a confiar que ele é provedor, ele quer usar e ensinar outras pessoas a participar dessa caminhada da evangelização, ofertando, ajudando de alguma forma, recebendo missionário em casa, entre outras coisas mais.
Que o Reino de Deus venha para a terra e que nós missionários possamos entender que não precisamos está o tempo todo balançando o coqueiro, pois temos alguém mais interessando em nós, do que nós mesmos e sabe do que precisamos e com certeza vai suprir tudo, ate mesmo a vaidade de ter uma Câmera Canon T3i (balançada) rs.
 

Joberson Lopes Lindale, Texas 25 de julho de 2013.

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s