Sai da tua Terra…Da tua parentela…


    Como deve ter sido difícil para Abraão essa direção de Deus; pode ter soado como: abandona tua família vai para algum lugar que eu ainda vou te mostrar…

    Se já é difícil mudanças com destino certo, com emprego certo, com casa alugada, mobiliada imagine como seria ouvir de Deus, para sair de minha casa, de próximo de meus parentes para ir para algum lugar que eu não sei onde é e nem quando vou chegar lá.

    Viver a vida de incertezas é algo que nenhum ser humano em sã consciência busca, é o que a grande maioria da humanidade pensa, mas existe uma parcela dessa humanidade que buscar ouvir Deus e esses “insanos”, já sabem que podem ouvir coisas de Deus que iram em contramão ao que a maioria dos humanos tem vivido.

    Buscar ter intimidade e relacionamento com Deus é está disposto a conversar sozinho, a entrar em uma rua que não estava no script, a falar com estranhos na rua, a receber pessoas estranhas em casa como hospede, a deixar a sua plantação que está iniciando a dar frutos e ir para uma nova terra, que você não sabe onde é não conhece o clima, sem ferramentas e iniciar uma nova plantação, iniciar um novo processo de vida é está disposto a levar prejuízo.

    Abraão não foi obrigado a deixar sua casa, seus amigos, famílias e ir em direção a uma terra que ele não conhecia, mas o que motivou ele a fazer essas escolhas, eu acredito que foi a ansiedade de buscar conhecer mais de Deus, de está mais próximo ao Pai, a querer ouvir Deus de forma audível, a entender os mistérios de Deus. Ele não buscou na astrologia, não buscou na teologia ou em qualquer outra “gia” da época, ele não buscou a facilidade, mas apenas confiou que quem o chamara seria fiel ate nas horas mais difíceis.

    Quando encaramos o trabalho de Deus como um peso, um fardo isso nos faz reclamar, retroceder, murmurar e ainda nos faz levar outras pessoas conosco nessa fase de murmuração, e vejo que esse problema está em não confiarmos em Deus, em não acreditarmos que mesmo na sua “loucura” Ele é mais sábio que nós.

    Entender o amor de Deus pela humanidade sempre foi algo que me intrigou e ainda continua martelando em minha cabeça, pois é fácil compreender o amor de alguém por outro que o faz bem, que o trata bem, que confia nele, mas amar um ser humano que só vive a murmura, que nada do que têm está bom, que tudo de ruim só acontece com ele e entre outras coisas mais e mesmo assim ainda amar essa alma, tem que ser coisa de um Pai muito amoroso.

    Vejo que Deus quer nos ensinar grandes coisas em atitudes pequenas, mas nós queremos fazer grandes coisas em atitudes pequenas; não queremos dificuldade em nada, mas queremos orar impondo as mãos e queremos ver o cego enxergar, queremos ver o deficiente ficar curado de sua deficiência, mas não estamos disposto a nenhum tipo de obediência a Deus, não estamos dispostos a  passar por nenhum sofrimento, inerente a vida, que já culpamos Deus, já o indagamos se ELE realmente existe, porque Ele deixou isso ou aquilo acontecer. Ser grande, como Pai da Fé é para quem tem coragem de enfrentar grandes desafios, é para quem tem coragem de ser chamado de louco, ser julgado erroneamente, de enfrentar o desdenho de amigos, de parentes entre outros.

    Abraão quando cumpriu a direção de Deus para sua vida, foi de uma coragem sem limite, pois além de ir para algum lugar que ele não conhecia, nem quanto tempo demoraria a chegar, ainda levou consigo muitas pessoas e pessoas dependentes dele, que ele deveria sustentar, dar de comer, ouvir suas reclamações, enfrentar seus problemas, ajuda-los a caminhar.

    Quem busca ouvir de Deus, está disposto a ouvir o que não quer ouvir, tem que está disposto a renunciar o que ama, a abrir mão de sonhos, tem que deixar a insegurança de lado e caminhar, pois se aproximar de Deus não é requerido de pessoas grandes, importantes, mas quando nos aproximamos de Deus e fazemos sua vontade, Ele nos faz sermos pessoas importantes, mesmo não sendo essa a intenção.

    Se alguém for perguntando se almeja algum dom de Deus, como o de cura, o de profecia, ou de línguas ou outro qualquer, acredito que esse alguém, com certeza vai dizer que quer sim os dons do Espirito Santo de Deus, mas quando a ele é pedido a renuncia de algumas coisas em sua vida, esse alguém, retrocede, não caminha, paralisa de medo e acaba não recebendo o dom que tanto queria, porque não tem coragem para enfrentar os desafios de Deus para suas vidas, para próprio crescimento.
Ser reconhecido todos quer, mas andar nos desertos tendo pouco é para poucos. Somos muito previsíveis como seres humanos, Deus dever está sempre usando a “copiadora” celestial do roteiro de nossas vidas, pois quase todos seguem a mesma linha de vida, que é estudar, trabalhar, ganhar dinheiro, junta-lo, não dividir com ninguém, se tornar ranzinza, fica velho, ter doenças devido ao stress por ter ganhado dinheiro, ficar internado gastando o dinheiro que ganhou e morrer.

    Deus tem algo novo para nós, mas enquanto não tivermos coragem para largar “osso” velho que estamos roendo e partir para um algo novo, para um sonho, para uma direção de Deus, nunca conseguiremos deixar o obvio deixarmos de ser previsíveis, de sermos mera Xerox de uma humanidade xerocada, pálida e sem cor vivendo em sua pseudo segurança diária.
Joberson Lopes, 07 de dezembro de 2012, Valparaiso-Go.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s