A Prudente desconfiança

  
“Todos são inocentes ate que se prove o contrario”
Essa é uma frase que existe, mas não funciona em algumas relações, pois muitos não confiam em ninguém ate que se prove o contrario, que é o sentido oposta da frase a cima.

Quando uma empresa quer contratar um funcionário, eles querem referencias anteriores e pessoais, se você não tiver nada que te referencie dificilmente você será contratado para aquela vaga, pois a empresa não tem confiança no que você está dizendo.

Se você vai tirar seu visto para uma viagem aos EUA, o entrevistador não vai confiar apenas no que você diz, pois já se parte do pressuposto que todos mentem e enganam, e a verdade é algo inesperado dos seres humanos, por isso precisam dos seus comprovantes.

Se você é convidado a pregar em uma igreja, antes do culto, existe uma sabatina pela liderança da igreja para saber quem você é, onde passou e se tem referencias para terem a certeza que você é gente boa de Deus, como diz o nosso irmão Caio Faio.

Se você vai alugar uma casa, tem que ter dois ou três fiadores e os fiadores tem que ter casa própria, salario três vezes o valor do aluguel, ser funcionário público, ter o nome limpo junto às operadores de créditos, etc.

Estamos vivendo em um tempo em que palavra tem o mesmo valor de um risco na agua, ou seja, nenhum; Aquilo que você diz pode ate ter algum valor, mas se você já tiver um legado em alguma parte de sua vida e que tenha alguma testemunha ocular disso, pois contrario for, você é um mentiroso, ate que se prove o contrario.

O evangelho de Jesus Cristo precisa ser atualizado para os nossos dias, podem dizer alguns, pois a bíblia traz muitas contradições quanto à vida que levamos hoje. Quase ninguém quer emprestar nada a outro, pois já imagina que o outro não vá devolver e por isso é melhor não emprestar, mas o evangelho que Jesus ensinou diz que se alguém me pedir emprestado, que eu não me desvie dessa pessoa e lhe de o que necessita se eu tiver.

O evangelho de Jesus parece que não se enquadra nas muitas partes das nossas vidas hoje, pois nem dentro da instituição que chamamos igreja, se ver mais confiança; o que vemos é olho por olho e dente por dente, e se você fez por merecer, poderá receber se não fez nada temos para você.

Existem duas palavras que nos faz deixar a vida pratica do evangelho de lado, CAUTELA e PRUDENCIA. As milhas que você não quer andar a mais ou a outra face que você não quer dar são traduzidas como cautela e prudência.

Existe um excesso em nossas prudências quando estamos frente a algo que possa nos gerar algum prejuízo, mas pouco se fala em cautela ao AMAR      ao próximo em demasia, acredito que nunca tenha ouvido alguém dizer que está com extrema prudência com suas atitudes em relação ao próximo, pois não sabe se está dando amor suficiente a ele ou ainda falta mais.

Nós buscamos nos esconder atrás das nossas seguras cautelas e fugimos da pratica do evangelho, pois isso pode nos causar prejuízo; como eu vou alugar minha casa para uma pessoa que não tem referencias nenhuma, não tem nenhum fiador? Como vou emprestar algum dinheiro a alguém sem ter a garantia de receber de volta o que lhe emprestei?

Por que será que temos tanto medo de confiar nas pessoas? Seria porque não confiamos em nós mesmo? Será que estamos nos vendo refletidos nessa pessoa?

Sei que essas palavras são difíceis de ser “digeridas” no sistema mudando que vivemos hoje, pois não faz sentido algum ter prejuízo para ver outro alegre, ou correr riscos pelos outros que não merecem, mas uma coisa podemos saber, o evangelho de Jesus Cristo não foi escrito apenas pra ser contado como uma historia bonita e que nos faz encher os olhos de lagrimas quando o pastor pregar na igreja, ele nos foi ensinado para termos posturas diferentes do sistema mundano que nos envolve.

Jesus Cristo não nos ensinou isso para mostrar que no reino do céu só entram pessoas idiotas, pessoas que não tem cautela e prudência, mas a lição que retiro dos evangelhos é que minha luta maior não é defender meu patrimônio, minha luta é contra mim mesmo, em não amar o que o sistema mundano me diz para amar, o evangelho me ensina a dar o valor real para as pessoas, por quem Jesus Cristo morreu e a quem realmente tem valor.

Foi por pessoas que Cristo veio a terra e se entregou na cruz como sacrifício, ele sabe que temos que ter nossas propriedades e que temos nossas desconfianças, mas Ele nos chama, a saber, que os prejuízos podem vir, mas que não temos que andar nos extremos de não se deixar nunca ser enganados, pois Ele pode usar também esse prejuízo para gloria de Deus.

Ser inteligente e esperto no reino do céu é amar a Deus sobre todas as coisas e entender que o meu próximo pode me dar um prejuízo, mas esse próximo é a imagem e semelhança de Deus e ainda que ele me dê prejuízo, eu tentarei o amar e tentarei viver em harmonia e procurarei uma melhor forma para que ele aprenda a ser uma pessoa diferente, sem o exclui-lo do meu rol de membros, do meu clube de amigos.

Viver o evangelho é uma dadiva de Deus, mas muitas vezes pode não ser prazeroso na razão humana.
Joberson Lopes 17 de maio de 2012.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s