Um Gay que me Constrangeu

    Fim de semana estive conversando com um homossexual assumido, perseguido, amedrontado, solitário e revoltado com a atitude dos heterossexuais que se aproximam dele.

    Ele falou que em todo tempo de vida, desde que se entendo por gente, foi recriminado, apontado, desprezado, xingado, caluniado, sendo motivo de piadas e em alguns desses momentos nem sabia por que as pessoas agiam dessa forma contra ele, pois ele era uma criança e já tinha trejeitos afeminados, mas não tinha entendimento porque ele era assim.

    Eu pude sentir toda aquela revolta, toda a indignação com o que ele já passou e ainda hoje passa; Ele procura não andar sozinho, pois teme que alguém possa a qualquer momento ataca-lo, ou aponta-lo, ou recrimina-lo ou outras coisas mais.

    Eu me senti de “mãos presas” com meus argumentos de crente, constrangido com minhas “certezas” de que homem tem que ser heterossexual. Essa certeza tinha me deixando como sendo um desses que um dia apontou o dedo para ele, eu me senti como seu eu tivesse sido a pessoa que o discriminou, ou o desprezou, ou falou mal.

    Eu tinha conversado com outro homossexual, agora um travesti e profissional do sexo e pude notar o mesmo medo, os mesmos sentimentos dele em relação ao restante da população heterossexual; Como foi incômodo ouvir isso, pois sei que esse tipo de tratamento por nós heterossexual é verdade e que muitos de nos cristãos pregamos “Eu amo os homossexuais, mas não a sua homossexualidade”. Será que isso é verdade? Será que esse amor existe? 

    Naquela conversa com o homossexual assumido, pude sentir pena dele, sei que esse é um sentimento ruim para se sentir por alguém, mas eu queria poder fazer algo por ele para ele não viver com todo esse medo, não viver sendo perseguido e pude de alguma forma sentir a dor dele, sentindo compaixão por ele.

    Fui orar e analisar sobre esses sentimentos meu de dó, de compaixão por ele e fiquei pensando que eu sendo uma pessoa cheia de falhas, pecador ao extremo, com tantos defeitos, pôde ter um sentimento de compaixão por aquele homossexual, então me questionei qual seria o sentimento que Jesus tem por todos os Homossexuais? O que Deus sente quando nós apontamos o dedo descriminando um homossexual? Ou o que Jesus sente quando sabe que um homossexual está sendo rejeitado na sua própria família por ter trejeitos afeminados quando criança?

    Eu não tenho solução para a vida homossexual de ninguém, mas creio que tenha que ter uma atitude mais parecida com a de Cristo na forma de tratar os homossexuais; Se Jesus Cristo estive no meu lugar, com certeza não apontaria o dedo acusando nenhum homossexual de seu pecado, ou mesmo não faria piadas por eles terem trejeitos afeminados, mas acredito que Jesus iria andar uma segunda milha com eles, ira pegar pela mão deles e iria conversar e ser aquele pai que faltou, seria aquele amigo heterossexual que ele não teve coragem de se aproximar do amigo gay, quando adolescente; Jesus seria a mãe ausente quando a filha mais precisou dela, mas Jesus não seria um cristão fazendo protesto contra os homossexuais, não acredito que eu receberia um e-mail de Jesus falando da indignação dEle por ter pessoas homossexuais vivendo próximo se beijando.

    Jesus não faz o “papel” do diabo acusando ninguém de seu pecado, Ele diz para as mulheres pega em Adultério: vá e não peques mais, ele não olha para mim e diz: Não seja julgador do seu próximo, mas Ele me diz: vá e não peques mais. Jesus não nos inocenta dos nossos erros, mas perdoa e anda mais uma milha tendo compaixão e misericórdia.

    Nós como seguidores de Jesus o Cristo temos que aprender com Ele a sua forma de tratar os pecadores, de olhar para os seres humanos como pessoas que carecem da misericórdia de Deus e dessa misericórdia depende todos, os mentirosos, os ladrões, as prostitutas, os homossexuais, os fofoqueiros, ébrios, os viciados em jogos, os compulsivos sexuais, os abusadores, os avarentos, os difamadores, os ateus, enfim todos que quiserem ter um relacionamento próximo com Deus.

    Jesus comia a mesa com os cobradores de impostos pecadores e isso foi escândalo para os religiosos da época, então não ficarei surpreso com os que se escandalizarem como esse texto, não por eu ser Jesus, mas por eu ser seguidor e imitador de suas atitudes e sei que hoje não difere em nada os fariseus de outra e os religiosos de agora.

    Que Deus em Cristo, transforme a nossas pregações de amor em atitudes pratica para com os homossexuais e não apenas nossas pregações de justiça própria.
Joberson Lopes,                 Samambaia 07 de junho de 2011.

9 pensamentos sobre “Um Gay que me Constrangeu

  1. Realmente,essa postura de amar o homossexual e não amar homossexualidade,parece que não tem como.Precisamos ama-lo como um todo.Jesus,não nos amou por tabela.Ele nos amou com todos e quaisquer defeitos!
    -MUITO BOM ESSE TEXTO!vAMOS REFLETIR!!

    Curtir

  2. Amigos,

    JESUS não amou os pecadores que arrogantemente jogavam na cara dele o preconceito dos fariseus. O amor de JESUS era dispensado aos pecadores que reconheciam nele a manifestação da graça divina.

    Nas Escrituras, não há nenhuma esperança para o pecador que se aproxima de Deus com ódio, arrogância, altivez.

    Eu amo os homossexuais e estou disposto a ajudá-los, DESDE QUE eles queiram, solicitem, desejem essa ajuda.

    Amar os homossexuais não é ser amigo deles, em primeiro lugar. Amá-los e importar-se com o destino eterno de cada um deles e, portanto, oferecer-lhes a salvação em Cristo JESUS.

    Nenhum de nós foi salvo por criticar a igreja ou os pastores… Fomos salvos pela graça de Deus e, desenvolvemos diariamente nossa salvação porque cremos que o pecado nos separa do Amor de Deus.

    Portanto, amar os homossexuais é adverti-los de que o homossexualismo é abominável aos olhos de Deus e que não existe nenhuma possibilidade de salvação sem arrependimento e conversão.

    O Evangelho é o Poder de Deus para a salvação… Não é uma mensagem de “paz e amor” ao estilo hippie.

    Podemos tratar bem os homossexuais… aceitá-los “como são” e etc. Certamente, estaremos agradando a muita gente e seremos considerados “legais” por todo mundo. Entretanto, isso não salvará a alma de ninguém.

    Portanto, lembremos sempre disso: é a alma que importa!

    Claudemiro.

    Curtir

  3. O Claudemiro..

    Queria ter essa certeza que você tem em saber que seu discurso é que vai levar alguem ao céu. Se a questão fosse tão fácil como dizer que estão errados e eles se convertecem, todos estariam no céu.. mas acredito e você sabe disse, que a questão é bem mais ampla e complicada de que essas resposta religiosas nossa!!..A Paz meu amigo!!

    Curtir

  4. Joberson,

    Muito bom o seu texto.
    As pessoas abandonam os seus erros e pecadospela convivência e pelo exemplo.
    Não há problema nenhum em andar com os pecadores.
    Jesus andava com os pecadores.

    Jesus anda comigo, apesar de eu ser um pecador.

    Eu não sou melhor que um homossexual. Não sou melhor que um mentiroso…

    Paz!

    vamos caminahndo e amando e não apenas anunciando, mas, vivendo o amor de Jesus e a Graça.

    Paz!

    Rev. Luciano Maia

    Curtir

  5. Olá, Joberson!

    Muito legal essa sua percepção. Poucos recebem isto de Deus. Em meu trabalho, recentemente, chegou um transsexual. Nem preciso dizer como foi a reação, em um local onde 90% dos funcionários são homens…Comecei a pensar quão sofrível é a vida de uma pessoa com tal “transtorno”. Deve ser impossível não se lembrar, a cada olhar no espelho, a cada formulário preenchido, a cada pedido de identificação, que você não é o que pensa que é, ou o que gostaria de ser.
    Independente do certo ou errado, essas pessoas precisam do amor de Deus em suas vidas! Afinal, não estamos aqui para julgar ninguém, não é mesmo? Jesus nos disse para amarmos uns aos outros como a nós mesmos. Ponto! Uma certeza eu tenho: Deus ama esta minha colega tanto quanto a mim, ou a qualquer outro!
    Um grande abraço a todos!

    Curtir

  6. Lindo texto meu amigo, este é um questionamento que nunca deve sair de nossa consciência. Nosso Cristianismo deve ser acima de tudo dignificado com nossas atitudes. Já diz o sábio; “se pecado é pecado, porque o dividimos em cores, ou o classificamos por tipo e sexo?” Todos nós carecemos desta graça e amor, e temos por dever viver isso… Que você continue cada vez mais cedendo em teu coração a este “chamamento” que é amar o próximo…

    Curtir

  7. Olá,

    Como sou pastor, meu elogio ao texto do Joberson de “pano-pra-manga”.
    Algumas pessoas me ligaram questionando minha posição sobre homofobia e homossexualidade.

    Minha opinião sobre estes temas é publica e notória para todos que caminham comigo. Inclusive minhas opiniões já foram publicadas em meu blog, há um mês atrás, está lá, e eu convido você a copiar o link abaixo e fazer a leitura.
    O link é:
    http://reverendomaia.blogspot.com/2011/05/de-aos-gays-o-que-e-dos-gays-e-deus-o.html

    (Sabemos que a produção intelectual, bem como a produção de textos, são caminhos tortuosos. Expor uma idéia não é fácil, ainda mais por escrito. Vejo que nosso querido Joberson tem se dedicado ao desafio e se esforçado em suas produções, tenho visto que ele já caminhou muito como escritor desde que o conheci e sei que muito ainda ele irá caminhar.)

    Abraço,

    Pr. Luciano Maia

    Curtir

  8. Meu irmão, “nem tanto ao mar nem tanto à terra”, como já diziam os mais velhos.

    Sinto que esse é um problema q é cada vez mais comum hoje em dia. Vemos pessoas de bom coração e que não são firmes na fé abandonam o Cristianismo por isso, ou o desfiguram.
    Um cristão jamais deve humilhar alguém por este ser homossexual. Isso é fato. Jesus Cristo não apelidaria, espancaria ou expulsaria uma pessoa por causa de uma tendência, ainda mais se for uma criança.
    Mas vamos tomar cuidado para, em nome do amor e da aceitação, não deixarmos de dar o testemunho de nossa fé. A prática homossexual é errada sim. O Cristianismo não pode ser modificado por nossa comodidade.
    Nossa sociedade está sofrendo investidas poderosas dos movimentos revolucionários, cujo um dos tentáculos é o movimento gay. Não podemos nos calar frente a isso. O alvo é o Cristianismo.
    Tenho pessoas muito próximas a mim que são homossexuais. Elas sabem no que eu acredito, eu não nego pra agradar. Eu os incluo em minhas orações, enquanto isso, vamos vivendo (e convivendo).
    Temos que ter o equilíbrio. E às vezes carregar a dor de ter um ente próximo sofrendo desse mal, sem repudiá-lo (seria mais fácil, mas não é o que um cristão deve fazer) e sem tapar os ouvidos para os ensinamentos de Nosso Senhor (discursos fáceis e que prejudicam nossa fé) que não aceita o ato homossexual.

    Curtir

  9. Concordo com seu ponto de vista Joberson. Inclusive no meu trabalho têm alguns homossexuais, sempre falo do amor de Deus por eles. Certo dia numa de nossas conversas, um deles narrou um fato que me chamou a atenção. Disse ele: – “Rose, ás vezes me sinto tão sozinho que já me deu vontade várias vezes de até mesmo ir a uma igreja, porém as pessoas vêem primeiro o GAY e nem se quer imaginam que preciso de uma palavra amiga, de uma oração.” Aquele comentário muito me incomodou, pois eramos para sermos o sal da terra e a luz do mundo, ou seja, fazermos a diferença, e no entanto a visão que aquele jovem tinha era que também a igreja, assim como o mundo, o julgaria ao invés de amá-lo e aconchegá-lo. O fato é que facilmente falamos do amor de Cristo, mas pouco vivemos como Cristo nos amou, como pecadores que somos!

    …:: Rosiane Landim::…

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s